Curta uma playlist e três lições de liderança que o jazz pode passar

Autor compara o papel de um líder com o de um músico, que precisa saber a hora de solar e também de deixar que outros membros da banda brilhem

Músico de jazz

(Crédito: ysbrandcosijn / 123RF Imagens)

O ato de empreender é um passo muito importante na vida de uma pessoa. Portanto, se você está neste momento, buscar diversos tipos de inspiração é uma ótima forma de começar. Não apenas com modelos de empreendedorismo a serem seguidos, mas também com elementos que tragam bem-estar e façam o seu cérebro trabalhar melhor. E poucas coisas são mais inspiradoras do que ouvir música, não é mesmo?

Segundo uma pesquisa do PhD Matthew Sachs, estudante da Universidade do Sul da Califórnia, nos Estados Unidos, a resposta estética das pessoas à música é um reflexo da conectividade de seus cérebros. De acordo com Sachs, quando alguém fica arrepiado ao ouvir uma melodia, significa que essa pessoa tem “um volume maior de fibras que conectam seu córtex auditivo às áreas associadas ao processamento emocional”.

Trocando em miúdos, a simples aparição de arrepios na pele também revela uma capacidade maior de se entrar em contato com os próprios sentimentos, o que pode significar que a pessoa em questão tem uma gama mais ampla de emoções.

Em artigo para o site Inc., o autor norte-americano Peter Economy traçou um paralelo entre o jazz e lições de vida e liderança.

Segundo ele, o trabalho e a vida forçam em você mudanças constantes na forma de liderar. E você pode lidar com o caos usando as mesmas estratégias que um músico de jazz empregaria.

Cadastre-se e receba novidades e dicas sobre empreendedorismo

Mas antes das dicas, que tal uma playlist montada pela equipe do Negociarias?

1. Domine a arte da improvisação

O autor lembra Frank J. Barrett, pianista de jazz e professor de administração e política pública global. De acordo com ele, “os músicos se preparam para serem espontâneos. Gerentes e executivos podem fazer o mesmo”.

“Prazos perdidos, reuniões esquecidas, uma apresentação que não vai bem… O jazz não apenas exige que você acompanhe a música, mas também lhe pede para contribuir. Não importando quais notas sejam ou não planejadas. Para garantir o sucesso, portanto, improvise e ajuste quando algo inesperado chegar a sua mesa”, escreveu Peter.

2. Faça seus solos, mas dê suporte aos outros

Dentro do âmbito da liderança, Peter aconselha que o empreendedor “não seja tímido”. E que “tenha orgulho de seu trabalho como líder e ao mesmo tempo membro da equipe”.

“Avaliar seus próprios esforços para um projeto de negócios é importante para manter seu moral elevado. Ao mesmo tempo, como no jazz, o trabalho de escritório pode ser uma atividade em grupo”.

Segundo o autor, em nova citação de Frank J. Barrett, “grandes equipes atingem um ritmo da mesma maneira que uma banda de jazz. Algumas vezes, isso significa deixar alguém na equipe assumir o controle. Ou permitir que alguém leve o crédito por um trabalho. Da mesma forma que os solistas do jazz são apoiados por pessoas que os acompanham ou compõem”.

3. Ame seus erros

“Muitas vezes colocamos uma forte pressão em nós mesmos, para que tudo saia da forma correta. Mas muitas vezes, também, esquecemos que nossos fracassos são tão importantes quanto nosso crescimentos e nossas realizações. Erros podem tirar tanto líderes empresariais quanto músicos de suas zonas de conforto. Mas é nos erros que estão as lições realmente valiosas a serem aprendidas. Tempos de conflito, seja com você ou com os outros, podem mostrar o que é preciso para ser um líder respeitado e confiável”, disse Peter Economy.

E como inspiração, o autor cita uma frase de gênio do jazz Miles Davis: “se você não estiver cometendo um erro, é um erro!”.

Gostou deste conteúdo? Inscreva-se em nossa newsletter e receba semanalmente as principais notícias do Negociarias.