4 dicas para você contratar o seu primeiro funcionário

No estágio inicial de crescimento de uma empresa, o primeiro funcionário pode ser um belo combustível ou um completo desastre

Patrão apertando a mão de primeiro funcionário contratado.

A escolha do funcionário certo pode ser a diferença entre o crescimento e a queda da sua empresa. (Crédito: rawpixel/123RF)

Muitas vezes, o empreendedorismo pode ser um negócio solitário. De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD), há no mundo em média duas vezes mais empreendedores sem empregados do que com pelo menos um funcionário. Mesmo assim, a Small Business Administration (SBA), entidade que apoia as microempresas nos Estados Unidos, divulgou dados que dão conta de uma maior geração de empregos entre as pequenas do que entre as grandes empresas. O mesmo acontece no Brasil, onde pequenas empresas também estão aumentando o número de vagas.

Portanto, mesmo que você não tenha planos de contratar algum funcionário agora, aumentar o número de colaboradores é uma possibilidade real no seu futuro, caso seu negócio cresça. E há várias questões que um empreendedor deve levantar quando considerar adicionar alguém ao time. Entre elas:

“Devo contratar um membro da família?”

“A pessoa deve vir com um contrato temporário, trabalhar em meio período ou ser incorporada como um funcionário?”

“O trabalho desse colaborador deve ser presencial ou remoto?”

Cadastre-se e receba novidades e dicas sobre empreendedorismo

Além de listar essas importantes considerações, o site Entrepreneur conversou com o Manny Coast, CEO da Helium 10, uma empresa que vende softwares para e-commerces. Após navegar pelo arriscado mar das startups, com apenas dois anos de mercado sua nova empresa tem a previsão de, ao final de 2017, faturar US$ 4 milhões. Criador de empresas e projetos digitais há quase 20 anos e dono de um podcast muito visitado sobre empreendedorismo online, Coats listou os quatro fatores principais que um empreendedor deve considerar antes de contratar seu primeiro funcionário.

Química é a chave

De acordo com Coats, numa empresa pequena não há espaço para ninguém se esconder. Cada pessoa conta e tem um papel vital. Por isso, é importante que o empreendedor tome cuidado para não adicionar ao seu delicado ecossistema uma pessoa tóxica. Essa pessoa, obviamente, precisa ser capaz de fazer bem seu trabalho, mas a forma como elas se portam perante o resto da equipe é igualmente importante, apesar de muitas vezes subestimado pelas empresas.

“A primeira coisa que devemos levar em consideração ao prospectar um novo funcionário é se ele se encaixa na nossa cultura. Nós temos um time com muita energia, trabalhamos duro. Se você contrata uma pessoa que é muito boa no que faz, mas não se adéqua ao time, essa pessoa facilmente quebra a dinâmica positiva do grupo, o que acaba interrompendo a eficiência e as funcionalidades da equipe”, disse Coats.

As habilidades do funcionário devem ser adicionais

Não contrate uma pessoa se ela não pode fazer o trabalho melhor ou mais rápido do que você. De acordo com Coats, habilidades podem ser aprendidas e desenvolvidas, mas a rapidez e direcionamento são capacidades inerentes das pessoas e não podem ser ensinados. O novo funcionário deve estar sempre sincronizado ao tempo de trabalho do seu time. E do seu também.

Foto de Manny Coats, empresário criador da Helium 10.

Crétido: ampmpodcast

“Quando contratamos um novo funcionário, seja para trabalhar de forma presencial ou remotamente, procuramos nos certificar que essa pessoa seja melhor e mais inteligente do que qualquer outra pessoa na empresa, em relação ao seu conjunto de habilidades específicas. Eu tenho o costume de fazer muitas coisas e uma das minhas principais áreas de especialização é o marketing. Portanto, se eu quero contratar um gerente de marketing, eu preciso que ele seja melhor em marketing do que eu. Caso contrário, eu não preciso dele”, revelou Coats.

Não tenha medo de contratar os melhores

O mercado sempre vai ter profissionais talentosos e capazes de fazer o trabalho que você precisa para sua empresa no momento. E de acordo com Coats, os empreendedores podem se dar ao luxo de ignorar candidatos que estejam um pouco abaixo do que esperam para o cargo.

“O ideal é se esforçar para contratar sempre a melhor pessoa para o cargo quando for adicionar seu primeiro funcionário. Muitas vezes, as empresas contratam alguém que não consideram perfeito, achando que podem moldar essa pessoa ou mudá-la de posição. Infelizmente, já fiz esse tipo de coisa e posso testemunhar que não é algo eficiente”, disse Coats, que considera uma das principais razões dessa ineficiência o tempo e atenção necessários para a adaptação de um funcionário que não chega à empresa pronto para exercer o cargo.

Contrate possíveis candidatos e faça testes com eles

Coats adotou uma prática de contratação pouco ortodoxa e, segundo ele, bastante provocativa. Num primeiro momento, ele contrata três funcionários para trabalharem no mesmo emprego por um período de teste de uma semana, atribuindo a cada um deles os mesmos projetos e tarefas. E mesmo que esteja pagando três vezes a mais por essa semana, o empresário cria um contexto de desempenho incomparável para os três candidatos, pois pode avaliar a pontualidade e a qualidade de seus resultados.

Leia também:
– Conheça os 6 perfis de empreendedores mais comuns no Brasil
– A importância de definir o que não fazer no seu negócio

“Se um candidato finaliza um projeto em oito horas, o outro em quatro e o terceiro em uma, todos com qualidade comparável, temos facilmente uma base de comparação entre os três, em termos de produtividade e resultados. E esse pequeno investimento inicial de pagar três pessoas ao mesmo tempo, a longo prazo, acaba significando uma economia de recursos”, revelou o empresário.

E mesmo que o candidato mais bem preparado seja mais caro do que os outros, o custo líquido dele é menor, uma vez que a velocidade geral dos resultados nos projetos aumenta e a necessidade de retrabalho diminui.

De acordo com Coats, da mesma forma que as empresas rotineiramente testam novos produtos, campanhas publicitárias ou mercados potenciais, faz todo sentido testar novos funcionários, especialmente para pequenos empreendimentos.

Você sabia que o Microempreendedor Individual (MEI) pode ter apenas um contratado? Divulgue esta informação para pessoas que estão pensando em empreender.