MPEs geraram maioria das vagas de primeiro emprego em 2017

Pesquisa inédita do Sebrae mostra que as micro e pequenas empresas geraram 755,5 mil postos de trabalho com carteira assinada para pessoas que ingressaram no mercado formal

Carteira de Trabalho

Uma pesquisa inédita realizada pelo Sebrae, a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) de 2017, revelou que as micro e pequenas empresas (MPE) são a principal porta de entrada para o mercado de trabalho formal no Brasil. Segundo o levantamento, as MPEs deram o primeiro emprego para a maioria (55%) do total de 1,4 milhão de pessoas que assinaram a carteira de trabalho pela primeira vez no ano passado. Enquanto isso, as médias e grandes empresas (MGEs) absorveram 44% dessa mão de obra e as empresas da Administração Pública ficaram com o 1% restante.

Maioria eram jovens

Segundo informações da Agência Sebrae, a pesquisa aponta também que 69,5% das 755,5 mil pessoas que foram contratadas pelas MPEs e que tiveram a carteira assinada pela primeira vez em 2017 eram jovens com até 24 anos de idade. Os trabalhadores do sexo masculino foram maioria, com 54% da mão de obra contratada pelos pequenos negócios e 56% das MGE.

Além disso, mais da metade dos trabalhadores que se iniciaram no mercado de trabalho (56%) por meio dos pequenos negócios em 2017 possuía ensino médio completo.

Quando cruzadas as informações sobre o perfil do primeiro emprego por sexo e nível de escolaridade, a pesquisa revela que as mulheres com mais tempo de estudo (superior incompleto e superior completo) tiveram a preferência dos pequenos negócios no ano passado, superando a mão de obra masculina com mesmo nível.

Mulheres com alta escolaridade

A quantidade de mulheres que possuem nível superior completo foi 71,5% maior que a de homens com igual faixa etária e nível de escolaridade (13,2 mil contra 7,7 mil). O número de mulheres com até 24 anos e superior incompleto também supera em 37% o de homens nas MPEs nessa mesma situação. O quantitativo de homens com até 24 anos de idade, em seu primeiro emprego, só é maior que o de mulheres com escolaridade menor (até o nível médio completo).

Cadastre-se e receba novidades e dicas sobre empreendedorismo

Comércio e Serviços

Ainda de acordo com a Agência Sebrae, outro dado revelado pelo levantamento mostra que a maior concentração do primeiro emprego entre as MPEs aconteceu nos setores de Comércio e Serviços.

Nos pequenos negócios do Comércio, em 2017, ingressaram pela primeira vez no mercado de trabalho 297,2 mil trabalhadores, sendo a maioria do sexo feminino. Já as MPEs do setor de Serviços empregaram um quantitativo pouco menor de iniciantes no mercado de trabalho (271,4 mil), sendo 53% deles do sexo feminino.

Juntos, Comércio (39%) e Serviços (36%) responderam por 75% do total do primeiro emprego nas MPE em 2017.

Principais números da pesquisa

• Número de pessoas contratadas pela primeira vez com carteira assinada em 2017 foi de 1,4 milhão de empregos
• Total de vagas de primeiro emprego gerados em MPEs no ano passado foi de 755,5 mil (55% do Total)
• Postos de primeiro emprego gerados por MGEs em 2017 foi de 606,1 mil (44% do Total)
• 69,5% das pessoas que tiveram a primeira oportunidade de trabalho formal em 2017 e que foram contratadas pelas MPE eram jovens com até 24 anos de idade.

Total de Primeiro Emprego Gerado nas MPEs, por setor, em 2017:

• Comércio (39%) – 296 mil
• Serviços (36%) – 271 mil
• Indústria (14%) – 101 mil
• Construção (6%) – 41 mil
• Agronegócio (5%) – 40 mil

Distribuição do primeiro emprego nas MPE, por idade:

• Até 24 anos – 69,5%
• 25 a 39 anos – 22,8%
• 40 a 64 anos – 7,6%
• 65 anos ou mais – 0,1%

Participação de homens e mulheres nas vagas geradas por MPEs dos setores de comércio e serviço em 2017:

• Comércio (49% homens, 51% mulheres)
• Serviço (47% homens, 53% mulheres)