Oi Futuro e Farm lançam edital de aceleração de startups

Programa Ahead | Labora Oi Futuro vai selecionar até dez empreendimentos de impacto social e tem inscrições abertas até o dia 23 de maio

Álvaro Machado, Diretor de Operações da FARM, fala sobre a parceria com o Oi Futuro

Álvaro Machado, Diretor de Operações da FARM, fala sobre a parceria com o Oi Futuro (Crédito: Bruno Polo/Divulgação)

O Oi Futuro, instituto de Inovação e Criatividade da Oi, e a Startup Farm, uma das aceleradoras mais conceituadas da América Latina, acabam de lançar uma parceria inédita. Foi anunciado na manhã desta quinta-feira (26) o edital do programa de aceleração de startups Ahead | Labora Oi Futuro.

Até dez empresas de impacto social serão selecionadas para o projeto, que terá uma etapa presencial no Rio de Janeiro. Empreendedores de todo o Brasil já podem se inscrever, até 23 de maio, no site da Farm. Ao apresentar o edital, o Diretor de Operações da Farm, Alvaro Machado, celebrou a possibilidade de poder trabalhar novamente no Rio de Janeiro.

“Voltar a rodar um programa no Rio e ele ter um foco que a gente está buscando há muito tempo nos deixa muito felizes. Tenho certeza de que vamos gerar startups sensacionais aqui”, disse Alvaro.

Negócios de impacto social

O programa busca negócios que tenham, em seu produto ou serviço, uma solução que ajude a resolver grandes problemas da nossa sociedade e impacte positivamente a vida das pessoas. Considerando, especialmente, as necessidades e demandas da base da pirâmide socioeconômica.

“Muitas das startups que aceleramos não se viam como impactadoras para a sociedade. Pensavam no business. Mas com o tempo viram o impacto que poderiam causar com seus projetos”, afirmou Alvaro Machado.

Cadastre-se e receba novidades e dicas sobre empreendedorismo

Uso inovador da tecnologia

Serão aceitos negócios que atuem em qualquer mercado e, preferencialmente, que façam uso inovador da tecnologia. No entanto, em sua apresentação, Diretor de Operações da Farm adiantou que o programa terão atenção especial a temas específicos.

Veja os temas:

  • Segurança;
  • Saúde;
  • Educação;
  • Habitação;
  • Alimentação acessível e saudável;
  • Cidades para cidadãos (infraestrutura, meio ambiente, mobilidade etc.);
  • Geração de emprego e renda;
  • Soluções financeiras para classes C, D e E.

As startups selecionadas contarão com uma ampla rede de mentores, investidores e especialistas do mercado. O programa tem como sede o Lab Oi Futuro, espaço de criação, experimentação e colaboração que o instituto inaugurou também nesta quinta-feira, no bairro no Flamengo, no Rio de Janeiro.

Estrutura do Oi Futuro

Com mais de 500m², o laboratório oferece estrutura física e suporte técnico necessários para que seus participantes viabilizem seus projetos em um ambiente que estimula a produção colaborativa, a formação de redes e a inovação.

“Esse edital é uma combinação muito interessante da expertise da Startup Farm em aceleração de negócios com potencial disruptivo com a bagagem de dezessete anos de investimento social do Oi Futuro” disse Carla Uller, gerente executiva de Inovação Social do Oi Futuro. “Em 2017, lançamos o Labora, nosso laboratório de Inovação Social. Apostamos no empreendedorismo e na inovação para impulsionar iniciativas sustentáveis e escaláveis de transformação social. Ao inaugurarmos nosso espaço físico agora, estamos estimulando também a articulação de redes colaborativas de empreendedores para gerar soluções inovadoras para a sociedade”, completou.

Fortalecimento de negócios

Apenas no ano passado, o Labora ajudou a fortalecer 25 organizações e negócios de diferentes perfis, por meio de dois programas de aceleração, executados em parceria com o Yunus Negócios Sociais e com o Instituto Ekloos.

Para Alan Leite, CEO da Startup Farm, este programa será um dos mais especiais que já fizeram.

“Esta edição é muito especial, pois tem clara a intenção de ajudar as startups que se proponham a solucionar os grandes problemas do Brasil, principalmente as startups que gerem valor para a base da pirâmide social”, disse Alan, que pretende buscar nas startups selecionadas a maior diversidade possível: “só assim teremos a inteligência necessária para resolver questões tão complexas”.

Cases de sucesso

A aceleradora possui cases de startups aceleradas em edições anteriores que estão alinhadas com o proposto para esta nova edição. São elas: HOOBOX Robotics, Vittude, Dado Capital, Onboard Mobility, BxBlue, PayKey, BioSoftness, Marmotex, Vérios Investimentos, Ktalise, Piipee e Linked.

“Há espaço até mesmo para startups do agronegócio, pois uma solução que melhore a produtividade no campo e reduza a necessidade de defensivos agrícolas, impacta diretamente a vida de quem consome esses produtos mais saudáveis nos grandes centros”, afirmou o CEO da Farm.

O programa

O programa terá duração de seis meses e possui três módulos, que têm por objetivo dar todas as condições necessárias para que as startups possam desenvolver seus negócios. De acordo com Alvaro, a seleção das startups acontecerá em julho. E a previsão de início do programa é o dia 21 do mesmo mês.

Os três módulos são:

Laser focus

Com duração de cinco semanas, esta etapa é uma imersão para os fundadores trabalharem focados na construção do modelo de negócios da sua startup. A etapa é presencial e acontece no Rio de Janeiro.

“Nesta etapa nós validamos o modelo de negócio, com muitos conteúdos e bate-papos com outros empreendedores. Toda semana teremos bancas, para as startups treinarem a apresentação de seus projetos. E também teremos sessenta mentores nessa etapa presencial. Chamamos de “Full-life”. Será o momento de definição se o negócio vai para frente ou não. No qual precisaremos de dedicação total das startups”, disse Alvaro.

Get Sales Done

Também com cinco semanas. Neste módulo a startup trabalhará na construção de uma estratégia de vendas e definirá as principais métricas de desempenho do seu negócio.

“Nesta fase, o foco total será no desenvolvimento do produto e nas vendas”, afirmou o Diretor da Farm.

Fundraising

Com 15 semanas de duração, o objetivo desta etapa é que as empresas aceleradas estruturem uma estratégia de captação de recursos. Elas farão isso ao elaborarem uma projeção de necessidade de capital e definam quais os investidores que fazem sentido para o seu negócio.

“O objetivo aqui será estruturar as startups para elas saibam levantar dinheiro. É arrumar a casa para quando elas forem conversar com potenciais investidores”, afirmou Alvaro.

Depois de passar por todas estas etapas, as startups poderão se apresentar a uma banca de investidores e executivos de grandes corporações para o evento mais esperado do programa, o “Demo Day”.

Sobre a Startup Farm

Maior e mais experiente aceleradora da América Latina, a Farm foi reconhecida como a melhor do Brasil pelo Startup Awards 2017. O prêmio é considerado o Oscar das startups brasileiras, organizado pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups).

A Farm já acelerou mais de 280 startups. Elas captaram em conjunto mais de US$ 1oo milhões em investimentos. E possuem valor de mercado agregado superior a US$ 1bilhão. Sete startups do portfólio já foram incorporadas por outras empresas, sendo a mais recente a Up Points, adquirida pela Embraco.

Este artigo foi útil para você? Inscreva-se em nossa newsletter e receba semanalmente as principais notícias do Negociarias.