MinC capacita empreendedores para o mercado de games

Iniciativa de ensino à distância tem a parceria da Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos Digitais (Abragames) e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Homem joga game online

(Crédito: andreypopov / 123RF Imagens)

O Ministério da Cultura (MinC) lançou, na modalidade de educação a distância (EAD), o curso “O setor de games no Brasil: panorama, carreiras e oportunidades”. A iniciativa é uma parceria com a Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos Digitais (Abragames) e o Núcleo de Estudos em Economia Criativa e da Cultura da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

O curso é o primeiro de uma série de três. Todos são voltados para a capacitação de futuros ou atuais profissionais do mercado de jogos eletrônicos. Os demais cursos – “Dicas e desafios para empreendedores” e “Internacionalização no setor de games” – serão lançados ainda neste mês de fevereiro.

Ensino à distância

Cada curso tem 30 horas de duração. Eles foram gerados a partir dos debates da edição de 2017 do Brazil’s Independent Game Festival (BIG Festival), maior festival de jogos independentes da América Latina.

Os cursos estarão disponíveis gratuitamente na plataforma de cursos online Lúmina, da UFRGS. Contarão com material de apoio e, ao final de cada um, os participantes receberão certificados da universidade gaúcha.

Cadastre-se e receba novidades e dicas sobre empreendedorismo

Durante o BIG Festival 2018, entre 27 e 29 de junho, em São Paulo, haverá uma solenidade de entrega de certificado. Serão agraciadas as dez primeiras pessoas que completarem os três cursos.

Programa do curso

No curso introdutório, o conteúdo pode ser aproveitado tanto por iniciantes quanto por quem já tem experiência. As inscrições estão já abertas e podem ser feitas neste link. São cinco aulas, no total.

Será feita uma análise inicial do setor, sua importância na economia criativa, nas estruturas das desenvolvedoras independentes e na articulação de comunidades. O material foca, também, nas experiências dos profissionais que construíram uma carreira no setor de jogos no Brasil. A ideia é mostrar quais são as possíveis áreas de atuação dentro do mercado de games, entre as quais estão roteirista, programador e designer, entre outras.

Games no Brasil

O faturamento do setor de games no Brasil em 2017 foi de R$ 1,3 bilhão. O dado foi apurado em pesquisa realizada pelo MinC, BNDES, Abragames e BIG Festival, entre junho e julho do ano passado com 151 empresas independentes de jogos digitais. O faturamento mundial no mesmo ano foi de R$ 116 bilhões. Estima-se que em 2020 este valor chegue a US$ 143,5 bilhões – um crescimento médio de 7,3% ao ano.

A maioria das empresas de games no Brasil estão nas regiões Sudeste e Sul (78%). São Paulo concentra a maior parte dos desenvolvedores de games, seguido do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro. A metade das empresas do setor (50%) já passaram de três anos de funcionamento e mais de 70% têm até cinco colaboradores. Mais da metade tem até três jogos lançados e atua tanto no mercado brasileiro quanto internacional.

Você já pensou em empreender no mercado de games? Conhece alguma coisa do setor? Escreva para o Negociarias e conte sua experiência.