Microcrédito chega às favelas em parceria entre Sebrae e BNDES

Parceria entre Sebrae e BNDES tem a meta de beneficiar 280 mil negócios nos próximos dois anos, com expectativa de R$ 6 bilhões em financiamentos

Dinheiro na mesa

Crédito: fredcardoso/123RF

O Sebrae e o Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) assinaram recentemente, em Brasília, um Acordo de Cooperação que visa ampliar o acesso a crédito aos microempreendedores individuais (MEI). E as comunidades de Heliópolis e Paraisópolis foram as escolhidas para receberem, em 30 dias, o projeto piloto que vai oferecer microcrédito às favelas brasileiras.

Fintechs entram em ação

As chamadas fintechs serão o instrumento utilizado para facilitar e orientar o acesso ao crédito. Não está familiarizado com o termo? Fintechs são startups que usam as novas tecnologias para oferecerem serviços financeiros de forma menos onerosa ao consumidor final, competindo com os bancos tradicionais.

Foto de Guilherme Afif Domingos, presidente do Sebrae

Guilherme Afif Domingos
(Crédito: Luiz Prado/ Agência Luz)

“O entendimento do BNDES em relação aos pequenos negócios era outro. Agora estamos falando a mesma língua. Os recursos estavam concentrados e o Sebrae e o banco estão aqui para enfrentar os desafios”, afirmou o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, em artigo da Agência Sebrae. “Com este acordo, o Sebrae volta às suas origens”, completa.

BNDES já tem um canal de acesso

O BNDES vem desenvolvendo ações para simplificar, agilizar e ampliar o acesso ao crédito das micro e pequenas empresas. De acordo com a Agência Sebrae, o Canal do Desenvolvedor MPME começou a operar em junho do ano passado. E por meio dele já foram realizadas mais de 25 mil solicitações de financiamento.

Cadastre-se e receba novidades e dicas sobre empreendedorismo
Ricardo Luiz de Souza Ramos, diretor do BNDES

Ricardo Luiz de Souza Ramos, diretor do BNDES

“Essa ferramenta dá mais poder ao empreendedor na negociação de melhores condições de financiamento para desenvolver o seu negócio. Além disso, responde à necessidade de modernização do modelo de negócios do BNDES no atendimento às MPEs, com maior rapidez, simplicidade, proximidade e transparência”, afirma o diretor do BNDES, Ricardo Luiz de Souza Ramos.

Novos negócios

A maior parte do público que acessa a ferramenta (95%) é formada por micro e pequenas empresários, majoritariamente do setor de comércio e serviços. Até agora, mais de 250 operações foram originadas no Canal e representaram R$ 100 milhões em novos negócios com MPEs.

Até 280 mil pequenos negócios serão beneficiados pelo acordo de cooperação técnica, que será executado pelos próximos dois anos, com foco em quatro eixos principais.

+Leia também:
– Microempreendedor individual: 6 passos para você virar MEI
– Economia: brasileiro vai continuar empreendendo em 2018

O eixo sobre concessão de crédito orientado e garantias é o que abarca o maior número de ações. São elas: orientação e capacitação para acesso a financiamentos; concessão de crédito para as MPE; oficinas, cursos e seminários; e sistemas garantidores de crédito.

O segundo eixo, canais de distribuição de crédito e financiamento, traz como desafio a utilização das fintechs para melhorar o acesso a crédito para esses empresários.

R$ 6 bilhões em dois anos

Já capitalização das micro e pequenas empresas e o relacionamento institucional constituem os dois últimos eixos. Com isso, espera-se que os financiamentos com MPEs cheguem a R$ 6 bilhões nos próximos dois anos.

Você é MEI e está encontrando dificuldades para conseguir crédito para sua empresa? Escreva para o Negociarias e conte sua história.