Micro e pequenos negócios se movimentam no clima do futebol

De quatro em quatro anos, os negócios de comércio e serviço aproveitam a maior festa do futebol para faturar um pouco mais

(Crédito: william87 / 123RF Imagens)

A partir desta quinta-feira (14), o futebol será o tema mais comentado no país. O time do Brasil já está na Rússia para o início da luta pelo hexacampeonato mundial. E nessa época, não é apenas o otimismo do brasileiro pelos bons resultados futebolísticos que cresce. A expectativa de vendas também aumenta nos pequenos negócios, principalmente, do comércio de vestuário e enfeites, além de serviços.

Apesar de a mais esperada competição de futebol do planeta ser sazonal e acontecer apenas de quatro em quatro anos, trata-se de um momento em que os pequenos negócios do varejo costumam aumentar suas vendas, reforçar o estoque ou até contratar funcionários temporários, como acontece com bares e restaurantes.

Venda de camisas

Thailini Paloschi, moradora de Águas Claras, no Distrito Federal, aproveitou a licença maternidade para unir o útil ao agradável. Sem ficar distante da filha de três meses, a administradora passou a vender uniformes do Brasil pela internet. E o negócio superou suas expectativas.

“Deu mais do que certo e já na primeira demanda não consegui atender todo mundo. Desde criança eu vendia camisas junto com meu pai que as estendia em um varal pelas ruas de Brasília”, contou Thailini, à Agência Sebrae.

“São as micro e pequenas empresas que levam o país adiante, pois geram emprego e renda, além de serem as que estão mais perto da sociedade, com quem mantém maior contato pessoal, direto. Sem dúvida, grandes eventos como esse representam excelentes oportunidades para os pequenos negócios ”, afirmou a diretora técnica no exercício da presidência do Sebrae, Heloisa Menezes.

Cadastre-se e receba novidades e dicas sobre empreendedorismo

De acordo com Daniel Moura dos Santos, dono de uma banca na Feira dos Importados, em Brasília, as vendas estavam aceleradas, mas caíram um pouco em decorrência da recente manifestação dos caminhoneiros. Mesmo assim, ele ressalta que poucos dias antes da competição as vendas aceleram.

“Se o Brasil passar para as outras fases, com certeza vamos vender muito bem”, disse Daniel.

Números dos pequenos negócios

Os pequenos negócios devem lucrar nas áreas do Comércio e Serviços, setores que também abriram maior número de vagas de trabalho. No 1º quadrimestre de 2018, o saldo acumulado foi de 293 mil novos empregos. Em março deste ano, o volume do comércio varejista mostrou expansão de 6,5% na comparação com o mesmo período de 2017. Esta foi a 12ª taxa positiva seguida, sendo o maior avanço desde abril de 2014 (6,7%).

Este artigo foi útil para você? Então inscreva-se em nossa newsletter e receba semanalmente as principais notícias do Negociarias.