Micro e pequenas empresas criam mais de 56 mil vagas em fevereiro

Geração de postos com carteira assinada pelas MPEs no primeiro bimestre de 2018 é 32% maior do que o número observado no mesmo período em 2017

Carteira de Trabalho Profissional

(Crédito: brasil.gov.br)

Os pequenos negócios lideraram a geração de empregos no país pelo segundo mês consecutivo em 2018. Foram registradas 56,1 mil novas vagas formais no país apenas no mês de fevereiro. Desde o início do ano, as micro e pequenas empresas já respondem pela criação de 142,9 mil postos de trabalho. Além disso, o resultado é 32% maior do que o do primeiro bimestre do ano passado. Já as médias e grandes corporações, no mesmo período, acumulam 8,9 mil fechamentos de empregos. Os dados fazem parte de pesquisa do Sebrae, com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Segmentos de destaque

Somando-se todos os saldos com os da Administração Pública, 61.188 novos empregos foram gerados no Brasil em fevereiro. Especialmente o setor de Serviços foi o que apresentou melhores números, com mais de 46 mil vagas abertas. O resultado foi puxado pelos pequenos negócios ligados às atividades de Ensino, com mais de 24 mil trabalhadores. E também pelas empresas do ramo imobiliário, com mais de 10,9 mil vagas.

+Leia também: Sebrae auxilia pintores e eletricistas formalizados como MEI

Indústria de Transformação

O levantamento também mostra um relevante aumento dos pequenos negócios na área da Indústria de Transformação. Apenas nela foram gerados de 14,7 mil empregos. O volume de postos ocupados no setor foi impulsionado pelas empresas de fabricação de calçados, que totalizaram um aumento de 4,3 mil empregos em fevereiro. E pela indústria de produtos alimentícios e de bebidas, que somaram 4 mil novas vagas.

+Leia também:
– Do consumo às vendas: jovem de SP cria marca de sapatos
– Cachaças artesanais: o caso de sucesso de um e-commerce

Cadastre-se e receba novidades e dicas sobre empreendedorismo

De acordo com o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, as micro e pequenas empresas representam a força dos empregos no país atualmente.

“O pequeno empresário representa o Brasil real. É o Brasil que continua gerando emprego e renda. E que precisa negociar suas dívidas para continuar apostando na retomada da economia”, defendeu Afif.

Previsão de crescimento

Em 2017, os pequenos negócios geraram 330 mil novas vagas e a tendência é que o volume de empregos com carteira assinada continue a crescer este ano. Em fevereiro de 2018, foram observados saldos negativos, por parte dos pequenos negócios, em apenas dois setores: no Comércio, que teve uma diminuição de 15,5 mil vagas, e na Extrativa Mineral, que extinguiu 257 postos de trabalho.

Este artigo foi útil para você? Inscreva-se em, nossa newsletter e receba semanalmente as principais notícias do Negociarias em seu e-mail.