Fundador e CEO da Amazon conta segredos de seu sucesso

Durante uma entrevista de uma hora conduzida por seu irmão Mark num evento de empreendedorismo, Jeff Bezos contou um pouco de sua história

Fundador e CEO da maior empresa de comércio eletrônico do mundo, a Amazon, o norte-americano Jeff Bezos é atualmente o homem mais rico do mundo, com uma fortuna estimada em US$ 90,6 bilhões. Recentemente, ele participou de um bate-papo com seu irmão, Mark Bezos, no Summit LA17, um grande festival de empreendedorismo e inovação que aconteceu em Los Angeles, em novembro passado. E na conversa de cerca de uma hora de duração, Jeff fala um pouco sobre os seus segredos de sucesso.

Veja aqui alguns dos melhores momentos desta rara entrevista e o vídeo inteiro (em inglês) no início da matéria.

A escolha de uma parceira de vida

Casado há 24 anos com a escritora Mackenzie Bezos, Jeff contou durante o papo com seu irmão que, no momento em que decidiu que precisava de uma esposa, sempre soube o tipo de pessoa com a qual gostaria de dividir sua vida.

“Num certo ponto eu decidi que queria me casar. E todos os meus amigos começaram a me arrumar encontros às escuras. Acho que fui a algumas dúzias de encontros arranjados. E uma das coisas que eu dizia para meus amigos que queria numa mulher era que ela, hipoteticamente, fosse capaz de me tirar de prisão de terceiro mundo. Era uma metáfora para uma pessoa engenhosa, com grande número de recursos. Porque você não pode viver a vida com uma pessoa que não tenha muitas habilidades. Você tem que viver com alguém que, se preciso, consiga te tirar de uma prisão de terceiro mundo”, contou o executivo.

A decisão de fundar a Amazon

Em 1994, Jeff tinha 30 anos de idade e estava casado havia um ano com Mackenzie. Tinha um excelente emprego como engenheiro de software financeiro em Wall Street, um belo apartamento em Nova York e resolveu largar tudo para abrir uma loja virtual de venda de livros. No papo com seu irmão, ele contou um pouco do que o levou a fundar a Amazon.

Cadastre-se e receba novidades e dicas sobre empreendedorismo

“Eu contei meus planos para a minha esposa e ela disse: ‘ótimo! Vamos nessa!’. Fui contar para o meu chefe e ele disse: ‘é uma ótima ideia, mas é uma ideia ainda melhor para alguém que não tem um ótimo emprego’. Aquilo fez algum sentido lógico para mim, parei para pensar por alguns dias”, contou Jeff.

+Leia também:
– Negócio entre amigos: cervejaria faz sucesso com 2 anos de existência
– Inspiração para seu negócio: 15 frases de lendas do esporte

E o executivo revelou o que o levou a tomar de fato a decisão.

“Acho que o que me fez tomar aquela decisão pessoal foi projetar minha vida quando eu tivesse oitenta anos de idade. E tomar a decisão que minimizaria ao máximo os arrependimentos ao longo da vida. Eu não queria chegar aos oitenta e, num calmo momento de reflexão, pensar no que eu vivi e catalogar uma longa série de arrependimentos. E acho que na maioria dos casos, os nossos maiores arrependimentos são os passos que deixamos de dar. Ficar pensando o que teria acontecido. Esse tipo de coisa nos assombra. E uma vez que eu comecei a pensar dessa forma, eu tive a certeza de que aos oitenta anos de idade, mesmo que eu tivesse tentado colocar essa ideia em prática e tivesse falhado, não teria problema. Eu estaria orgulhoso por ter tentado”, afirmou Jeff.

Aversão ao jeito multitarefas de ser

Ao entrevistar seu irmão, Mark Bezos comentou com a plateia que Jeff é sempre muito presente e raramente é distraído por seu smartphone. E o CEO da Amazon aproveitou para explicar a importância do foco em todas as suas atividades, sejam elas pessoais ou profissionais.

“Quando eu estou jantando com minha família ou com amigos, eu gosto de estar fazendo o que eu estiver fazendo. Não gosto dessa coisa de multitarefas. Se eu estou lendo um e-mail, eu quero estar lendo um e-mail, com toda a minha atenção e energia”, disse Jeff.

Vida pessoal x vida profissional de Jeff Bezos

Além de fundador e CEO da Amazon, Jeff também é dono do The Washington Post, um dos maiores jornais dos Estados Unidos, e da companhia aérea de viagens espaciais Bluer Origin, que até 2019 pretende levar turistas ao espaço. E com tantas responsabilidades nas mãos, seu irmão Mark perguntou como ele faz para achar um equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal.

De acordo com Jeff, o mais importante é encontrar a harmonia e estar feliz e energizado nos dois segmentos. Ser valorizado no trabalho, sentir que agrega valor à empresa, fazer parte de um time ou qualquer outra coisa que dê energia faz com que as pessoas sejam melhores em casa. Um melhor marido ou esposa. Um melhor pai ou mãe. Da mesma forma, se você é feliz em casa, isso faz de você um melhor funcionário, um melhor chefe.

“Me perguntam muito sobre essa coisa de equilíbrio entre trabalho e vida pessoal. E no meu ponto de vista, posso dizer que eu nem gosto dessa frase equilíbrio entre trabalho e vida pessoal. Eu prefiro chamar de harmonia entre trabalho e vida pessoal. Porque equilíbrio (quando se pensa numa balança) implica em uma troca igual e restrita de dois pesos. Na verdade, temos que pensar nessa relação trabalho e vida pessoal como um ciclo. É lógico que há períodos de crise no trabalho, que demandam mais do seu tempo. Mas isso não é o mais importante. O principal é você saber se o seu trabalho está te dando energia ou se está te sugando energia.

E você, o que acha da história de sucesso de Jeff Bezos? Compartilhe este conteúdo e inspire outras pessoas!