Estudo da ABF revela números do franchising no estado de São Paulo

O levantamento aponta que o movimento de interiorização das franquias pelo Estado prossegue, tanto quanto à abertura de unidades como em relação à chegada das redes

Número de franquias do estado de São Paulo

(Crédito: ABF)

Associação Brasileira de Franchising (ABF) realizou, pelo segundo ano consecutivo, um estudo a respeito da presença e dos movimentos do franchising nas 20 maiores cidades do estado de São Paulo. Tanto em número de marcas quanto de unidades. De acordo o estudo da ABF, o setor faturou no Estado R$ 65,071 bilhões em 2017, um crescimento de 10,6% na comparação com o ano anterior, quando somou R$ 58,813 bilhões. Em termos de expansão de unidades de franquias, o crescimento foi de 6% e de marcas, 10% no mesmo período.

O levantamento aponta que, na comparação entre os primeiros semestres de 2017 e 2018, a exemplo do que vem ocorrendo no país, o movimento de interiorização das franquias pelo Estado prossegue, tanto quanto à abertura de unidades como em relação à chegada das redes nos diversos municípios paulistas.

Presidente Prudente se destaca

A cidade com maior crescimento em número de unidades de franquias foi Presidente Prudente, com variação de 13%, registrando 237 operações no período analisado. Localizado a 558 km da Capital, o município possui uma população estimada em mais de 227 mil habitantes (IBGE 2018). A renda per capita era superior a R$30 mil em 2015 e o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) de 0.806 (Censo 2010) é considerado alto.

Em segundo lugar destacam-se São José do Rio Preto, com 602 unidades, e Jundiaí, com 507, ambas com 12% de crescimento. Piracicaba (377 unidades), Mogi das Cruzes (282) e Taubaté (249) ocupam a terceira posição, com variação de 11%. Ainda na casa de dois dígitos de crescimento, destacam-se em quarto lugar a litorânea Santos (518) e Indaiatuba (241), com 10%.

Estudo da ABG mostra número de marcas

Quanto à evolução no número de marcas que operam nos municípios, a cidade de Taubaté lidera o ranking de maior variação. O município do Vale do Paraíba registrou 19% de crescimento nesse aspecto. Na comparação entre o primeiro semestre de 2017 e igual período deste ano, Taubaté teve um salto de 146 para 174 redes em franquias com presença local. A cidade ficou à frente de São José do Rio Preto, com 284 marcas (16% a mais) e de São Paulo, com 813 redes (14%). Tiveram também boa variação no período as cidades de São Caetano do Sul, que figura com 206 marcas (13% a mais), Campinas (488), Santo André (326), Guarulhos (277), Santos (264) e Mogi das Cruzes, com 188 redes, e todas tiveram 12% de variação.

Cadastre-se e receba novidades e dicas sobre empreendedorismo

“Além da Capital, o interior paulista tem se mostrado um terreno muito fértil para o franchising brasileiro. Com uma economia diversificada, empreendedores locais e o desejo dos consumidores por produtos e serviços cada vez mais sofisticados, de fato, o interior paulista reúne as condições para o desenvolvimento tanto de redes franqueadoras, como de franqueados. É o franchising chegando ao consumidor perto de sua casa”, disse Altino Cristofoletti Junior, presidente da ABF.

Distribuição pelos municípios

O estudo da ABF analisou também a distribuição dos 20 municípios com maior número de unidades e redes de franquias pelas mesorregiões do Estado, segundo a classificação do IBGE. Em unidades, a região metropolitana de São Paulo – que concentra 51% da população paulista – reúne 45% dessas cidades. A região de Campinas, a Macro Metropolitana Paulista (formada por Bragança Paulista, Piedade, Sorocaba, Jundiaí e adjacências), e o Vale do Paraíba detêm 10% dos municípios listados.

“O ranking da presença do franchising no estado de São Paulo é coerente com a população dessas mesorregiões e com o avanço do próprio setor em todo o Estado. Ele nos mostra que as marcas estão indo cada vez mais ao encontro dos consumidores, e com planejamento consolidam a presença das franquias de forma cada vez mais pulverizada”, observou Vanessa Bretas, gerente de inteligência de mercado da ABF.

Este artigo sobre o estudo da ABF foi útil para você? Então inscreva-se na nossa newsletter e receba semanalmente os principais artigos do Negociarias.