Rock in Rio terá espaço com empreendedores de comunidades

Espaço Favela busca dar visibilidade à diversidade, à pluralidade e ao empreendedorismo das comunidades cariocas no festival em 2019

Anúncio do Rock In Rio

(Divulgação: Rock in Rio)

A organização do Rock in Rio anunciou esta semana uma atração inédita, que nada tem a ver com os astros internacionais que se apresentam no grande palco: o Espaço Favela. O novo espaço tem como um dos objetivos dar visibilidade à diversidade, à pluralidade e ao empreendedorismo das comunidades cariocas. E promete agitar a próxima edição do festival, que acontece em 2019.

Entidades parceiras

Trata-se de uma parceria do Sebrae, da Viva Rio, da CUFA (Central Única das Favelas) e da organização do maior festival de música e entretenimento do mundo. A novidade foi anunciada pelo presidente do Rock in Rio, Roberto Medina, e pelo presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.

“O Espaço Favela vai trazer o olhar para as comunidades. Vai retratar a alegria de seus moradores. Vamos amplificar este universo dando vida aos seus personagens. Pessoas do bem que trabalham e buscam melhores oportunidades e condições de vida. Gente trabalhadora e guerreira que ilustra estas comunidades. A ideia vai além de ser apenas uma apresentação no Rock in Rio. Queremos iniciar um movimento que traga esperança e oportunidades para quem vive nas comunidades”, disse Roberto Medina.

Impulsionamento de pequenos negócios

A proposta do espaço é criar um ambiente para impulsionar os pequenos negócios a partir da capacitação dos talentos das comunidades. Juntamente com o Sebrae, o Rock in Rio vai oferecer uma oportunidade única para os empresários, que poderão estar em contato com cerca de 700 mil pessoas que circulam na Cidade do Rock.  Todos receberão qualificação e suporte na legalização da operação. O Sebrae espera capacitar cerca de 10 mil micro e pequenos empreendedores.

+Leia também: Pequenos negócios aquecem a criação de empregos no Brasil

Cadastre-se e receba novidades e dicas sobre empreendedorismo

“Hoje nós estamos lançando um projeto extremamente importante, que é a integração do morro com o asfalto, através do Rock in Rio, que é economia criativa pura”, disse Guilherme Afif Domingos. “Vamos mostrar o valor dessa sociedade. Não adianta fazer uma intervenção sem promoção do desenvolvimento social. O país não pode continuar vivendo o apartheid entre o morro e o asfalto e o caminho para mudar essa realidade é a economia criativa”, completou o presidente do Sebrae. 

Sebrae nas comunidades

De acordo com a Agência Sebrae, desde 2012 o Sebrae no Rio desenvolve uma metodologia específica de atuação com os empreendedores das comunidades. Ao longo desses seis anos foram feitos cerca de 30 mil atendimentos nas favelas cariocas. O objetivo, além de formalizar negócios, é fomentar o empreendedorismo e fortalecer as pequenas empresas em territórios vulneráveis. E trabalhar em projetos específicos para mulheres, afroempreendedores, jovens, refugiados e egressos do sistema penitenciário.

Atrações musicais

O palco do Espaço Favela promete uma reunião de talentos das comunidades, com a curadoria de Zé Ricardo, da CUFA e do grupo Nós do Morro. O objetivo é dar espaço a artistas de diversos gêneros, como a MPB, hip hop, break, samba, dança, percussão, grafite, teatro e muito mais.

“Aqui não teremos assistencialismo. Queremos evidenciar o que é bom nas comunidades, não falta gente com conteúdo relevante para somar na cena artística do festival. A favela é sim um caldeirão de criatividade, de vários estilos. A ideia é potencializar e mostrar os talentos que estão dentro das comunidades. Faremos uma curadoria musical sempre considerando a diversidade e a mesma dinâmica se aplicará ao espaço como um todo”, afirmou Zé Ricardo.

+Leia também: Segundo dia do Rio2C destaca música e série de TV

Gastronomia

Talentos da gastronomia também terão o seu lugar. Juntamente com o Sebrae, pequenos negócios terão a oportunidade de mostrar sua culinária. Todos receberão qualificação e suporte na legalização da operação e, após o evento, o Rock in Rio cederá os equipamentos para suas cozinhas.

“Nós reconhecemos o talento e a criatividade nos negócios que existem nas favelas. Ali se gera emprego. Ali foram encontrados caminhos para se contornar a crise. O Sebrae pode oferecer cursos, orientar como montar seu negócio e facilitar o acesso ao crédito. Uma das nossas ideias é levar para estes microempreendedores as “fintechs”, pequenas empresas tecnológicas que podem ajudar na concessão de crédito”, garantiu o presidente do Sebrae.

Recrutamento de jovens

A CUFA será responsável também por recrutar e capacitar profissionais nas comunidades. Eles terão a oportunidade de trabalhar e vivenciar os bastidores do Rock in Rio, como figurinistas, produtores e até mesmo operadores de luz e áudio.

Já o Viva Rio realizará um calendário de eventos chamado “Só quero ser feliz”, com festas, celebrações e movimentos populares do Rio de Janeiro, além de eventos gastronômicos e culturais que ajudarão a revelar talentos para o Espaço Favela.

Engajamento social

“Desde 2001 o Viva Rio e o Rock in Rio estão engajados socialmente e determinados a impulsionar o espírito carioca. O Espaço Favela é uma verdadeira oportunidade para expandir as nossas missões, especialmente para quem mais precisa. Jamais vamos desistir. Está no nosso DNA. Viva o Rio! Viva o Rock in Rio!”, diz Carlos Roberto Fernandes, Gerente de Projetos do Viva Rio.

O Rock in Rio está marcado para o segundo semestre de 2019, no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca. Para esta próxima edição, a primeira atração anunciada foi a cantora Anitta, que se apresentará no Palco Mundo.

Gostou deste artigo? Então inscreva-se em nossa newsletter e receba semanalmente as principais notícias do Negociarias.