Durante feira das franquias, ABF sedia congresso internacional

Presidente da entidade falou da internacionalização das franquias brasileiras. De acordo com dados da ABF, atualmente há 142 redes nacionais atuantes em 100 países.

Congresso Internacional de Franchising

(Crédito: ABF)

A feira de franquias que acontece até este sábado (30), no Expo Center Norte, em São Paulo, é um dos eventos da ABF Franchising Week, que, paralelamente, apresentou diversas palestras e simpósios com discussões sobre o mercado do franchising no Brasil. Nesta quinta-feira (28), estreando na programação do evento, o Congresso Internacional de Franchising, em sua quarta edição, debateu oportunidades e desafios que envolvem o setor globalmente. Altino Cristofoletti Junior, presidente da ABF, abriu os trabalhos ao apresentar um panorama do processo de internacionalização das franquias brasileiras. De acordo com dados da ABF, atualmente há 142 redes nacionais atuantes em 100 países.

DNA brasileiro para exportação

A internacionalização das marcas brasileiras foi analisada por Thelma Rodrigues, professora da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). O assunto é tratado na coletânea de livros publicados bienalmente desde 2010, fruto de uma parceria entre a ABF e a ESPM. Sob o tema “marca”, a quinta edição do chamado “livro verde” intitulado “A internacionalização das franquias brasileiras” será divulgada em outubro, durante a Convenção ABF do Franchising.

A professora detalhou os aprendizados obtidos em cada um dos estudos e deu destaque a alguns pontos de atenção nos quais as empresas devem focar.

“Considerem operar no exterior, pois a concorrência aumentará no Brasil. Planejem sua atuação internacional. Tenham uma estrutura que permita crescer. E invistam em pessoas”, disse Thelma Rodrigues.

O exemplo de Israel

Luciana Detoni, diretora de desenvolvimento de negócios do Consulado de Israel, apresentou algumas lições que o mercado brasileiro pode aprender com o país, que hoje é considerado “a nação das startups”. Com cultura criativa e DNA empreendedor, Israel é número 1 do mundo em capacidade de inovação, densidade de starups per capita e em gastos totais com planejamento e desenvolvimento (P&D) e o segundo em gestão de capital de risco. Segundo Luciana, entre as principais características dos Israelenses, o “chutzpah”, a ousadia, se destaca.

Cadastre-se e receba novidades e dicas sobre empreendedorismo

“A frase ‘missão dada, missão cumprida’ está na mentalidade dos israelenses. E isso explica a, por exemplo, a criação de mil startups por ano”, disse Luciana.

A falta de recursos naturais e as adversidades de um país desértico não são problemas para Israel, onde 80% da água potável é dessalinizada. De acordo com Luciana, o empreendedor israelense se agarra às soluções, e não aos problemas. E diante das limitações de um país pequeno, com reduzido mercado interno, os israelenses criam soluções para serem usadas não em Israel, mas no mundo.

O franchising ibero-americano

No mesmo evento, um painel sobre os principais desafios e oportunidades no franchising ibero-americano reuniu líderes do setor, membros da Federação Ibero-Americana de Franquias (FIAF). Participaram Lucas Secades (Argentina), José Roberto Fernández (Guatemala), Julio Beleki (México), Daniel Gavilan (Paraguai), Paulo Antunes (Portugal) e Marcel Burgos (Uruguai).

Com moderação de Altino Cristofoletti Junior, representante do Brasil, os executivos detalharam o ambiente e as oportunidades de negócios em seus países. Já o mexicano Diego Elizarrarás, secretário geral da FIAF, falou a respeito da trajetória da entidade e do seu papel na representação do sistema de franquias ibero-americano.

Por ocasião da ABF Franchising Week, o Brasil sediou a segunda reunião do ano da FIAF, realizada também nesta quinta-feira.

Este conteúdo foi útil para você? Então inscreva-se em nossa newsletter e receba semanalmente as principais notícias do Negociarias em seu e-mail.