Como ganhar dinheiro extra empreendendo em meio período

Muitos empreendedores montam negócios próprios, como uma forma de ganhar dinheiro extra, enquanto estão empregados. Veja como fazer para dar certo

Relógio azul em cima de bancada

(Crédito: olegdudko/123RF)

Muitos trabalhadores brasileiros costumam buscar fontes alternativas de renda. Em outros casos, não necessariamente a pessoa quer ganhar dinheiro extra, mas busca apenas  algum tipo de satisfação pessoal. Seja como for, esse tipo de movimento, em diversas situações, pode levar ao empreendedorismo. E muitos negócios que nascem assim acabam funcionando em meio período, até o empreendedor sentir firmeza e largar tudo para se dedicar totalmente.

O jornal paranaense Gazeta do Povo ouviu alguns consultores de negócios. O objetivo era saber se a ideia de abrir um negócio sem largar o emprego é viável. Na verdade, pode ser menos complicado do que você imagina, mas exige muita dedicação e organização.

Ganhar dinheiro extra é a meta

De acordo com o artigo da Gazeta, especialistas analisaram as pessoas que empreendem em meio período. E a maioria afirmou que esse tipo de empreendedor, geralmente, está mesmo em busca de uma segunda fonte de renda, além do emprego que já possuem.

“Mas há também aqueles que começam a empreender num negócio de meio período para poder ganhar confiança e partir para algo maior. É como se fosse um ‘test-drive’ antes de investir mais dinheiro e tempo num negócio próprio”, disse à Gazeta a consultora Lyana Bittencourt, diretora executiva do Grupo Bittencourt. “Isso funciona, porém exige muita disciplina, foco e dedicação, uma vez que uma atividade não pode atrapalhar a outra”, completou.

Organização do tempo é fundamental

De acordo com Lyana, o empreendedor de meio período precisa definir alguns pontos importantes. Pois embarcar numa empreitada como essa pode ser muito desgastante. É preciso saber quanto do tempo será dedicado aos contatos comerciais, à execução do trabalho e à organização das demandas. Também é fundamental ver quanto a pessoa irá dedicar à gestão administrativa e financeira.

Cadastre-se e receba novidades e dicas sobre empreendedorismo

“Tudo isso tem que ser medido e executado para que o empreendedor não se perca e deixe o tempo se esvair em distrações desnecessárias. Organização é fundamental”, ressaltou a consultora ao jornal paranaense.

+Leia também:
– Trabalho e vida pessoal: como desapegar e virar a chave
– Produtividade: 15 coisas que roubam seu sono
– A importância de definir o que não fazer no seu negócio

Dedicar apenas meio período a um negócio não é o mais indicado, segundo Paulo Ancona Lopez, da Ancona Consultoria. Especialmente se o empreendimento é novo e está em fases de validação. Mas o consultor afirma que existem alguns tipos de negócios que não demandam tanto e podem ser tocados dessa forma.

“Existem empreendimentos que não estão diretamente ligados ao público ou que podem ser desenvolvidos de casa ou à distância, e então podem ser empreendidos por meio período, como por exemplo prestações de serviço ou trabalhos ligados a vendas e representações”, enumera o consultor.

Planejamento vem antes de tudo

Ricardo Baccarat, também consultor, da AGR Consultores, destacou à Gazeta do Povo a importância do planejamento. Segundo ele, um dos primeiros passos deve ser a formatação de um plano de negócios “que leve em consideração a visão estratégica, uma análise de concorrência e, no caso de abertura de um ponto fixo, a pesquisa pelo local onde está seu público-alvo.

“Se não tiver o capital próprio, o melhor caminho pode ser procurar um investidor, um sócio ou cofundador para não precisar de um financiamento que onere o valor que vai faturar nos primeiros anos”, afirmou Baccarat.

Você já empreendeu ou tem vontade de empreender mesmo mantendo um outro emprego? Escreva para o Negociarias e conte sua experiência.